Volta às aulas presenciais no Pará preocupa professores e deixa estudantes ansiosos

O anúncio do retorno de aulas presenciais na rede estadual de ensino feito pelo governo do Pará, mesmo sem a completa imunização de profissionais da educação e estudantes contra Covid-19, razão preocupação entre a categoria de professores e impaciência entre os estudantes. Segundo o governador Helder barbalho, as aulas devem voltar dia 2 de agosto.

A estudante Marisa Monteiro só conhece o ensino médio pela tela do computador e pelos livros. Ela está no segundo ano de uma escola estadual e diz que sente que perdeu em qualidade dos estudos com o ensino remoto. “Eu entendo melhor pessoalmente até porque alguns assuntos eu não entendo direito e seria muito melhor presencialmente’.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) diz que a retomada das aulas deve ocorrer de forma híbrida, com somente 25% dos estudantes em sala. No Pará, são mais de 13 mil alunos matriculados no ensino médio, pela rede estadual.

O Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras em Educação Pública do Pará (Sintepp) recebeu com ressalvas a notícias de que as aulas voltam em agosto. A preocupação é pelo fato de que no período em que as aulas devem voltar, os professores ainda não terão recebido a segunda dose da vacina contra o coronavírus.

Já na rede municipal, a previsão de retorno das aulas é somente para setembro desde ano. Em Belém atuam mais de 5.500 profissionais na área da educação e 72 mil estudantes matriculados para voltarem às salas de aula.

De concordância com a Secretaria Municipal de Educação (Semec), em Belém houve adaptação nas escolas para que a higiene dos estudantes e funcionários seja feita seguindo os atuais protocolos sanitários.