São Roque adota medidas contra quem quer escolher marca da vacina contra a Covid

De acordo com a prefeitura, a medida é uma forma de garantir respeito ao trabalho de imunização e às pessoas que anseiam pela proteção contra o coronavírus.

O decreto foi pulicado nesta sexta-feira e estabelece que, se a pessoa for até o lugar de vacinação e se recusar a receber a dose em razão do laboratório que produz o imunizante, será elaborado um termo informando sobre a situação.

O documento será assinado por duas testemunhas e informará ao munícipe sobre a perda do direito de vacinação por ordem cronológica e a sua realocação na fila de imunização. Ou seja, só vai ser vacinado posteriormente a conclusão da vacinação de todo o público adulto (maiores de 18 anos) da cidade.

Ainda segundo o órgão, se a pessoa continuar se recusando a tomar a dose depois de a vacinação de todo público adulto, o município irá expedir às autoridades sanitárias para que sejam tomadas medidas legais sobre o caso.

Outras cidades
No estado de São Paulo, ao menos outras cinco cidades adotaram medidas contra quem se recusar a tomar a vacina disponível no posto de vacinação.

Em São Bernardo do Campo e em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, a pessoa irá para o término da fila de imunização, e poderá se vacinar depois de os adultos de 18 anos.

Já nas cidades de Rio Preto e Jales (SP) quem recusar a vacina terá que assinar um termo de responsabilidade afirmando que se negou a tomar a vacina por razão da marca do imunizante. As prefeituras irão enviar esses termos para o Ministério Público, mas não há uma punição prevista.