RS passa das 23 mil mortes por Covid; média móvel completa duas semanas em queda

Secretaria da Saúde registrou, neste sábado (17), mais 145 óbitos e 4,9 mil casos. Apesar da redução, dados recentes apontam tendência de estabilidade em patamares altos. No dia em que passa da marca de 23 mil vidas perdidas — 1 mil só nos últimos cinco dias —, o Rio Grande do Sul também completa duas semanas consecutivas de queda na média móvel de mortes. Com os 145 óbitos divulgados neste sábado (17) pela Secretaria Estadual da Saúde (SES), o estado chega a 23.121 vítimas da doença desde o início da pandemia.

Os 122 registros mais recentes aconteceram ao longo das últimas duas semanas. Os demais 24 são de datas anteriores, além de uma correção de caso.

Mesmo assim, a média móvel de mortes apresentou a 14ª variação negativa consecutiva. Em relação a duas semanas atrás, houve uma redução de 25% na média diária de óbitos.
É a maior sequência desde 8 de fevereiro. Porém, a subtracção precisa ser permanente para voltar a patamares baixos, já que foram 37 dias de subida em fevereiro e março e os dados dos últimos dias indicam uma tendência de estabilização.

A totalidade de casos passou da marca dos 920 mil. Com os 4.910 infectados identificados nas últimas 24 horas, são 920.426 pessoas com teste positivo para o coronavírus em toda a pandemia.
Do totalidade, 881.983 (95,8%) são consideradas recuperadas, 15.248 (1,7%) em seguimento, e a taxa de mortalidade se mantém em 2,5%.

A média móvel de casos segue em estabilidade com 1% a mais do que há duas semanas — o que serve de referência para uma provável estagnação nos demais gráficos. É preciso que o contágio diminua novamente para que os efeitos na média de mortes e de internações seja sentida.

O que segue em queda é a ocupação dos leitos de UTI nos hospitais gaúchos. Na tarde deste sábado, o totalidade de pacientes havia minguado para um patamar inferior de 3 mil.
Às 16h06, haviam 2.933 pessoas em 3.383 leitos, uma taxa de ocupação de 86,7%. Apesar de crítico, o sistema mostra redução na lotação e tanto leitos SUS como de instituições privadas estão inferior de 100%.
O alerta fica para Cruz Alta, que teve um aumento nas hospitalizações e se juntou a Uruguaiana e Cachoeira do Sul entre as regiões Covid com superlotação.

Já a vacinação contemplou, até as 16h07, 1.913.735 pessoas, das quais 529.463 já receberam a segunda dose.
Ou seja, 16,89% da população recebeu a primeira dose e 4,67% da população gaúcha foi imunizada com ambas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.