Óleo avança no Litoral Norte Nordestino e chega a novas praias

O óleo que vem atingindo o litoral nordestino avançou e chegou às praias do Pilar, em Itamaracá, e na de Pau Amarelo, nas proximidades do forte de mesmo nome, em Paulista, ambas no Litoral Norte do estado. A informação foi confirmada pelas prefeituras dos municípios, nesta quinta-feira (24)

A partir desta quinta, as denúncias de óleo no litoral pernambucano pode ser feitas 24 horas por dias pelo telefone 185, central que funciona na Capitania dos Portos, no Recife.

Itamaracá, no Grande Recife, é a décima cidade a ser atingida pelo óleo, desde que a substância reapareceu no estado, há uma semana. Paulista teve registro da substância na quarta-feira (23), na Praia do Janga. Nesses sete dias, foram 958 toneladas recolhidas de resíduos das praias do estado.

Segundo Clóvis Barreto, secretário de meio ambiente de Itamaracá, fragmentos de óleo foram encontradas por volta das 5h10 pelas equipes de monitoramento, que vem atuando no município desde que a substância reapareceu em Pernambuco.

“São pontos individuais, não está como outras praias que vimos. São fragmentos numa extensão de cerca de 250 metros”, disse.

De acordo com o secretário, as manchas foram localizadas da Praia do Pilar até as proximidades da Praia de Jaguaribe. “Vamos isolar o local, para nenhum civil ter contato com o material. A Marinha e o Exército têm equipes para fazer essa limpeza. Queremos evitar casos de intoxicação”, apontou o secretário.

Em Paulista, a substância foi encontrada próximo ao forte de Pau Amarelo. Essa é a segunda praia do município a ser atingida. De acordo com o general Alexandre Cantanhede, comandante da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada, um efetivo de 100 militares foi destacado para a limpeza.

Especialistas afirmam que o impacto do óleo no meio ambiente vai durar décadas, com prejuízo para espécies marinhas, para toda a cadeia alimentar e para os seres humanos. Além do recobrimento de praias, arrecifes, mangues e solos rochosos, que são difíceis de serem limpos, os fragmentos se decompõem e há moléculas nocivas ao ecossistema e à fauna.

Desde a terça-feira (22), o Exército passou a trabalhar também na limpeza do litoral pernambucano, após determinação do vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB). Até então, voluntários estavam se deslocando até os locais afetados para fazer a limpeza.

Na quarta, o governo federal anunciou que vai solicitar formalmente à Organização dos Estados Americanos para que a Venezuela se manifeste oficialmente sobre o óleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.