Uma das netas de Elza Soares, que morreu no Rio nesta quinta-feira (20), contou que a avó não somente sentiu que estava partindo. Momentos antes de falecer, a cantora afirmou a parentes: “Eles estão chegando”.

Vanessa Soares contou que, mais cedo, a avó chegou a fazer uma sessão de fisioterapia, “mas ela disse que estava se sentindo um pouco cansada”. “A gente achou que fosse cansaço da viagem. Era um corpo de 90 anos!”, pontuou.

“Quando foi por volta de meio-dia, 13h, ela começou a passar mal (…). Ela virou para mim e disse assim: ‘Eu tô morrendo’. Eu falei: ‘Tá não, minha rainha.’”, recordou.

Vanessa mandou mensagem para os médicos de Elza e pediu ajuda ao marido.

“Eduardo chegou no quarto. ‘Fala aí, Elzão! E aí?’. Ela virou para ele e falou assim: ‘Eles estão chegando’. ‘E aí ela fechou o olho e foi indo’, emendou.

“Elza foi no dia que ela quis, da forma que ela quis, sem sofrimento, cercada da família, despejando amor e recebendo muito amor”, continuou.

“Ela estava bem, gravou o DVD no dia 17 e 18 de janeiro. Acordou hoje e fez fisioterapia. Tudo normal. A gente até percebeu um ligeiro cansaço nela, uma respiração mais ofegante, mas achamos que foi por desculpa da físio”, lembra Pedro.

Ele conta ainda que depois desse momento, Elza pediu para repousar e começou a apresentar a fala um pouco embolada. O fato chamou atenção de Pedro e de outros familiares que estavam com ela. Mas Elza brigou com eles garantindo que estava bem.

Um tempo depois, a cantora dirigiu-se aos familiares e disse: “Eu acho que eu vou morrer”.

A declaração acendeu o alerta, e os familiares foram checar sua pressão e oxigenação, e notaram uma pequena diferença.

Pedro e os familiares da cantora chamaram o médico de Elza, que enviou uma ambulância para o lugar por prevenção, mas 40 minutos depois, Elza foi mudando o semblante, até que apagou.

“Foi uma morte tranquila, sem traumas, sem motivo. Morreu de causas naturais. Esse, aliás, era um grande pavor dela: ter uma morte sofrida, por doença. Hoje, ela simplesmente desligou”, conta Pedro.

O empresário conta ainda que Elza estava bem, com a saúde perfeita e que estava no melhor momento da vida dela.
“Seus últimos dias foram de uma rainha. Ela gravou DVD, cantou, estava de casa nova, uma cobertura que ela comprou. Estava superfeliz, superbem e morreu no auge de seus 70 anos de carreira. Com tudo que ela demorou uma vida inteira para conquistar”, disse ele, que se emociona ao lembrar a última música cantada por Elza.