Elon Musk, CEO da SpaceX, divulgou na sua conta do Twitter que a empresa está começando um programa para transformar o gás carbônico (CO2) na atmosfera em combustível para foguetes. Na publicação, ele convida quem tiver interesse a se unir ao projeto.

A iniciativa pode simbolizar uma mudança para a companhia, considerando que o foguete da empresa Falcon 9 usa querosene para operar – o componente emite, entre outros elementos, grandes quantidades de gás carbônico.

Essa não foi a primeira vez que Musk apresentou interesse neste tipo de tecnologia. Em novembro, a Musk Foundation doou fundos para uma premiação de US$ 100 milhões para 23 equipes de estudantes que desenvolveram projetos para a remoção de carbono da atmosfera.

Ainda nos tweets, Musk declarou que a iniciativa seria importante para o planeta Marte.

CO2 como combustível
Diversos cientistas têm investido na transformação de CO2 em combustível como uma maneira de remover o gás da atmosfera, que contribui para o aquecimento global.
Um exemplo dessas iniciativas é a da Carbon Engineering, uma empresa canadense. O processo desenvolvido por ela envolve sugar o ar e o expor a uma solução química que concentra o CO2. Depois, é realizado um procedimento para refinamento, fazendo com que o gás seja purificado de modo a ser armazenado e, posteriormente, utilizado como um combustível líquido.

Outro projeto é o da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, que consiste em transformar as emissões de carbono de fábricas em combustível, usando o calor residual da usina. Com isso, seria gerado um combustível sintético.