Com o direito ao aborto sob ameaça nos Estados Unidos, cineastas apresentam no Festival de Sundance três filmes que destacam os riscos históricos que as mulheres enfrentam ao passarem por procedimentos ilegais.

O documentário “The Janes” e o filme repleto de estrelas “Call Jane” retratam o coletivo de mesmo nome que nos anos 1960 ajudava mulheres grávidas em Chicago a entrar em contato com médicos que trabalhavam escondidos, enquanto o premiado drama “Happening” fala sobre uma jovem que arrisca tudo para abortar na França nessa mesma década.

“Tendo vivido essa época, acredite, não queremos voltar a isso”, disse Sigourney Weaver, que protagoniza “Call Jane”.

O festival traz essas produções no aniversário de 49 anos do caso Roe v. Wade, com o qual a Suprema Corte estabeleceu jurisprudência para endossar o direito ao aborto nos Estados Unidos.

Esse direito constitucional está sob ataque, em um momento em que vários estados dominados pelo Partido Republicano aprovam leis que dificultam o acesso a um aborto para as mulheres.

Os defensores do direito ao aborto temem que o atual formato da Suprema Corte, que inclui três juízes conservadores indicados pelo ex-presidente republicano Donald Trump, restrinja ou até elimine esse direito.

O festival de Sundance, que exibe o melhor do cinema independente, vai até 30 de janeiro.