Japa System monta ‘Sistema percussivo integrado’ com BNegão, Carlinhos Brown e Larissa Luz

Percussionista da banda BaianaSystem lança o primeiro álbum solo em junho com som que reverbera influências do Candomblé, da capoeira e do samba de roda. ♪ Japa System – nome artístico do baiano Antônio Dimas Vieira Aires Júnior, percussionista com 23 anos de carreira que já integrou a Timbalada e o grupo Terra Samba, tocando há seis anos com a banda BaianaSystem – lança em 21 de maio o single Tum-Kata-Kruáka, gravado com Carlinhos Brown.

Trata-se d0 exemplar inicial do primeiro álbum solo de Japa System, Sistema percussivo integrado, antes previsto para abril e atualmente programado para ser lançado em 18 de junho pelo selo de Brown, Candyall Music.

Além de contar com o timbaleiro tribalista, Japa montou Sistema percussivo integrado com as presenças de BNegão, Larissa Luz, Gabi Guedes (integrante da Orkestra Rumpilezz, do maestro Letieres Leite), Marcos Suzano e Mônica Millet (neta da ialorixá Mãe Menininha do Gantois e nome pioneiro no toque feminino da percussão no Brasil).

Com oito faixas que reverberam influências do samba de roda, dos temas de capoeira e do Candomblé, o disco solo de Japa foi gravado em três estúdios – Casa das Máquinas, Ilha dos Sapos e Pracatum – com mix de sons orgânicos e sintéticos, amalgamados pelo artista com a intenção de testar texturas percussivas.

Os sons de atabaques, baldes, barras de ferros, cascas de árvores, frigideiras, peles de animais e timbaus foram harmonizados com os toques eletrônicos de sintetizadores e samplers.
Neste primeiro álbum solo, Japa também se apresenta oficialmente como cantor, soltando a voz em cinco das oito faixas do disco, com a experiência de já ter dobrado vozes com Russo Passapusso em discos da BaianaSystem.

Larissa Luz divide com Japa o canto de Gente que vem, povo que vai, música gravada com o toque da guitarra de Roberto Barreto, colega de Japa na banda Baiana System. Já o rapper carioca BNegão assume versos de Trindade.

Originário de Feira de Santana (BA), Japa assina a produção e a direção musical do álbum Sistema percussivo integrado ao lado de João Meirelles, outro colega da Baiana System.

Juntamente com o disco, Japa System produziu documentário sobre o processo de criação do artista. Com roteiro que abrange cenas captadas em Salvador (BA) com os convidados do disco, o curta-metragem entra em rotação simultaneamente com a edição do álbum Sistema percussivo integrado.

“Tudo que tem nesse disco é muito real, porque é o que eu sou, é o meu som. Eu caminho por essas estéticas”, resume Japa System.