Família faz campanha para remunerar tratamento de bebê com cardiopatia congênita em Sorocaba

Uma família de Sorocaba (SP) está fazendo uma campanha para remunerar o tratamento de um bebê de dois meses de idade que foi diagnosticado com a Síndrome de Hipoplasia do Coração Esquerdo (SHCE).
A cardiopatia congênita, que é uma anormalidade no coração, foi descoberta enquanto Luiz Joaquim Alves Koritiake ainda estava no útero da mãe, Rafaela Koritiake.
A doença consiste no inferior desenvolvimento do lado esquerdo do coração do bebê, prejudicando a função do órgão. No caso de Luiz Joaquim, também foi constatado um dano do lado direito, além de uma insuficiência tricúspide e uma disfunção.
Por conta disso, ainda com poucas semanas de gravidez, Rafaela e o marido, Romullo Alves, ouviram dos médicos que o rebento era considerado incompatível com a vida. Diante da seriedade da situação, eles decidiram buscar tratamentos e exames mais complexos em São Paulo.
Novamente, Luiz Joaquim foi desenganado pelos médicos, até mesmo em hospitais especializados em doenças de coração. “Eu cheguei a ouvir: ‘o caso dele não tem o que fazer, não tem chances’. Fiquei sem chão”, conta a mãe.
“O que eu ouvia é que era uma cardiopatia fora da curva, que no Brasil não temos bons resultados e, por ter anatomia muito ruim, esquerda e agravos no lado direito, já seria caso de transplante cardíaco e, no nosso país, era rara a doação desse órgão, ainda mais para recém-nascido.”

Enquanto a família tentava encontrar esperanças, surgiu um novo problema: uma vez que o único tratamento provável neste caso é muito complexo, não é realizado em hospitais que aceitam o convênio da família.
Antes de dar à luz, no entanto, Rafaela encontrou um lugar que realizava os tratamentos necessários para Luiz Joaquim, em São Paulo. Logo ao nascer, com quatro dias de vida, ele passou pela primeira etapa, de três, do tratamento.
Por meio de uma ação judicial, a mãe conseguiu que o convênio fizesse o pagamento da estadia do bebê no hospital, mas a família terá que arcar com as despesas da equipe médica.
Por isso, Rafaela criou uma campanha nas redes sociais para tentar levantar a quantia necessária. A vaquinha foi lançada na quinta-feira (8) e, até o momento, mais de R$ 22 mil já foram arrecadados. A meta é chegar a R$ 150 mil.
No momento, Luiz Joaquim está bem e estável. O bebê saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e está no quarto, se recuperando a cada dia para fazer os outros dois procedimentos.
“Ele é um guerreiro, muito forte. Peço ajuda de todos, com doações e compartilhamentos também. Sua contribuição é muito importante para nós. Eu nem tenho como agradecer”, completa Rafaela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.