A versão ômicron, que pode contaminar 60% dos europeus até março, amorteceu a pandemia de Covid-19 na Europa, avalia Hans Kluge, diretor do escritório europeu da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo ele, é provável que a região esteja se aproximando do encerramento da crise sanitária.

“É plausível que a região esteja se aproximando do final da pandemia”, afirmou Kluge neste domingo (23).

“Quando a onda da ômicron se acalmar, haverá, durante algumas semanas e meses, uma imunidade global, seja graças à vacina, seja porque as pessoas estarão imunizadas pelas contaminações, e também devido à uma baixa [nas infecções] por culpa da estação”, afirmou, referindo-se ao verão no Hemisfério Norte.

No entanto, o profissional fez um apelo por prudência devido à versatilidade do vírus. Kluge também descarta que a doença tenha entrado em uma temporada endêmica na Europa.

“Endêmico significa que podemos prever o que acontecerá, e esse vírus nos surpreendeu mais de uma vez. Logo, devemos permanecer muito prudentes”, aconselhou.