Elon Musk participa do ‘Saturday Night Live’ e diz que tem Síndrome de Asperger

Ao surgir como convidado no programa americano “Saturday Night Live”, Elon Musk, presidente da Tesla e da SpaceX, revelou que tem Síndrome de Asperger, um tipo de autismo leve.

Em seu monólogo de abertura do programa, o bilionário disse que foi a primeira pessoa com essa síndrome a ser convidada para a atração. “Ou pelo menos a primeira a permitir”, afirmou.

“Sei que disse ou postei coisas estranhas, mas é assim que meu cérebro funciona. Para qualquer pessoa que ofendi, só quero manifestar: reinventei os carros elétricos e estou enviando pessoas a Marte em um foguete”, declarou. “Vocês acharam que eu seria um cara normal e relaxado?”

Além de Elon Musk, outros famosos também já revelaram que têm (ou tinham) a Síndrome de Asperger, segundo uma organização voltada a pessoas com essa síndrome. São eles: Bill Gates, Tim Burton, Greta Thunberg, Susan Boyle, Steve Jobs, Isaac Newton, Alan Turing, entre outros.

Nas redes sociais, Musk já recebeu críticas por alguns de seus comentários, como quando insultou um mergulhador que ajudou no resgate de um grupo de crianças presas em uma caverna na Tailândia.

No programa “SNL”, o empresário fez piadas sobre si mesmo, seus tuítes e o nome incomum de seu filho X Æ A-Xii. Ele também elogiou as criptomoedas (meios de troca para transações virtuais). Musk tem mostrado entusiasmo, principalmente, em relação à dogecoin.
Pressionado a explicar o potencial dessa criptomoeda, o bilionário fez piada e a descreveu como “um veículo imparável, que vai dominar o mundo”.

Transtorno do Espectro Autista
A Síndrome de Asperger é um tipo de autismo ligeiro. Segundo especialistas, as pessoas com a síndrome não têm deficiência intelectual, mas sim dificuldades nas relações sociais (como demonstrar sentimentos) e na comunicação social (como interpretar conversas). Essa condição costuma ser identificada quando a pessoa ainda é criança ou adolescente e tem como causa uma desordem genética.

Em alguns casos, as pessoas com a síndrome apresentam capacidade intelectual acima da média. O nome da síndrome foi dado em homenagem ao pesquisador austríaco Hans Asperger.

“Eu tenho Aspergers e isso significa que às vezes sou um pouco diferente do normal. E – dadas as circunstâncias certas – ser diferente é uma superpotência”, escreveu Greta Thunberg sobre a Síndrome de Asperger em agosto de 2019.

A síndrome é um dos tipos de Transtorno do Espectro Autista (TEA). Segundo a médica Ana Escobar, o TEA é uma condição consequente a uma complexa desordem que ocorreu no desenvolvimento do cérebro.

Outrossim, ela acrescenta que estudos indicam que o TEA pode atualmente acometer aproximadamente 1 em cada 100 crianças no mundo. Os meninos são mais frequentemente acometidos.

No blog da Dr Ana Escobar, a médica também escreve que os três principais sinais em crianças com o TEA são mais perceptíveis na interação social (dificuldade para estabelecer contato visual ou físico e em compreender as emoções dos outros; o que dificulta os relacionamentos sociais); na notícia verbal ou não-verbal (dificultada e/ou prejudicada); e no comportamento (gestos repetitivos, contínuos e estereotipados; gostam de repetir o que estão fazendo e detestam mudanças de rotina).