Equipes de saúde e de assistência social estão indo aos bairros de Jundiaí (SP) para cuidar de moradores em situação de rua. Com uma van, elas oferecem atendimentos clínicos e psicológicos.

A abordagem é feita em locais onde, muitas vezes, as pessoas não são notados por quem passa por elas. Um primeiro contato é feito pelas equipes para identificar os moradores em situação de rua.

O consultório fica parado em pontos de fácil acesso. Na estrutura sob quatro rodas são oferecidos atendimentos clínicos e psiquiátricos. A médica Vanessa Princípio explica que a atuação da equipe visa identificar qual é a principal urgência das pessoas ali atendidas.

“A urgência objetiva pode ser que esteja visível aos olhos e daí passa por um sofrimento mental, ou um sofrimento do corpo ligado ou não ao uso de substâncias, mas muitas vezes a questão da substância é somente a ponta do iceberg”, diz.

O consultório de rua percorre pelo menos seis bairros e a região médio da cidade. Por mês, são realizados por volta de  350 atendimentos. Em alguns casos específicos, o morador em situação de rua é guiado para a rede municipal de saúde.

Segundo a gestora de Assistência Social de Jundiaí, do ponto de vista da assistência social, o trabalho cotidiano é feito nos bairros para identificar um maior fluxo de pessoas.

“A gente encaminha essas pessoas para a rede de atendimento para que a gente possa identificar de que forma, tanto do ponto de vista da saúde quanto do ponto de vista social e de retomada de vínculos familiares e sociais a gente possa prometer esse trabalho”, explica.