China afirma que fornece vacina a 40 países da África

China tenta mostrar, com ‘diplomacia da vacina’, que faz esforços para ajudar com a imunização em outros países. O presidente da China, Xi Jinping, visitante a Ateneu Militar de Ciências Médicas de Pequim, em foto de 2 de março de 2020
Ding Haitao/Xinhua via AP
O Ministério de Relações Exteriores da China afirmou, nesta quinta-feira (20), que fornece vacina a quase 40 países da África, em ações que o titular da pasta descreveu como puramente altruísticas.
Esse tipo de ação tem sido chamado de diplomacia da vacina.
China vacina cidade inteira para combater surto de Covid-19
As doses foram doadas ou vendidas por preços mais favoráveis, disse Wu Peng, o diretor encarregado da relação da China com a África no Ministério de Relações Exteriores.
Wu comparou a forma como a China tem agido com a dos Estados Unidos, mas sem referir explicitamente os norte-americanos: “Alguns países disseram que eles precisam esperar para que todo o seu próprio povo seja vacinado antes que eles possam fornecer vacinas a países estrangeiros”.
Para o ministro, é evidente que é necessário prometer que os chineses sejam vacinados logo que provável, “mas para outros países em urgência, nós nos esforçamos ao sumo para fornecer ajuda com vacinas”, ele disse.
Os EUA foram acusados de estocar vacinas. Na segunda-feira, o presidente Joe Biden fez o segundo pregão sobre compartilhamento de doses —até agora, foram prometidas 80 milhões de vacinas nos próximos meses. O governo não disse quais serão os países que vão receber.
Os norte-americanos vão doar 60 milhões de vacina da AstraZeneca (que não foi aprovada para uso no país) e 20 milhões de doses da Pfizer, Moderna e Johnson & Johnson (essas, sim, em uso nos EUA).
ONU pede vacinas para a África
Na quarta-feira, o Juízo de Segurança da ONU pediu para estugar a entrega de vacinas de Covid-19 para os países da África. O continente recebeu 2% do totalidade de doses já ministradas no mundo.
Uma enunciação presidencial dos 15 membros de um juízo sobre temas ligados à África reiterou a urgência de acesso igualitário, testes baratos para detectar a doença, tratamentos e vacinas.
A diplomacia da vacina da China tem sido bem-sucedida. Já foram acertados por volta de de 500 milhões de doses a mais de 45 países, de concordância com a resenha da filial de notícias Associated Press.
A China tem quatro fabricantes de vacinas. Eles afirmam que têm capacidade de produzir ao menos 2.6 bilhões de doses neste ano —todas elas feitas com tecnologias mais tradicionais, a de vírus inativado (outras vacinas foram feitas com RNA mensageiro ou adenovírus, que têm outras formas de agir).
O Egito vai inaugurar a produzir a Sinovac em junho.
Wu, do Ministério de Relações da China, afirmou que só o auxílio não vai resolver os problemas de vacina da África, e que é preciso concordar a produção lugar.
Veja os vídeos mais assistidos do Portal Web Rádio Xis