O candidato Nasry Asfura, que representa o partido de direita que governa Honduras, admitiu nesta terça-feira (30) a derrota nas eleições presidenciais hondurenhas. No discurso, ele parabenizou a provável presidente eleita, a esquerdista Xiomara Castro, esposa do ex-presidente Manuel Zelaya (que governou o país entre 2006 e 2009, quando foi destituído).

Tudo indica, portanto, que Xiomara será, aos 62 anos, a primeira mulher a governar o país. Falta a confirmação oficial: com 52% das urnas apuradas, ela tinha 53,4% dos votos contra 34,1% de Asfura. O rival da presidente eleita, inclusive, pertencia ao Partido Nacional (PN) — que governava o país justamente desde a queda de Zelaya.

Xiomara recebeu os parabéns também do governo dos Estados Unidos: momentos depois de Asfura admitir a derrota, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, chamou a vitória da candidata da esquerda de “histórica”.
Na noite de domingo, Xiomara já havia adotado um discurso de vitória: “Boa noite, ganhamos”. Na ocasião, ela prometeu um “governo de reconciliação”. “Estendo a mão a meus opositores porque não tenho inimigos”, disse a candidata. “Vou convocar um diálogo com todos os setores de Honduras”.