Bebê que teve Covid e desenvolveu síndromes raras completa três meses

Quando Luís Miguel Fraga completou dois meses de vida, ele ainda estava na UTI neonatal de um hospital privado em Indaiatuba (SP), em tratamento de Covid-19. Agora, ao completar três meses nesta quarta-feira (21), ele se recupera em casa, em Salto (SP), e já apresenta melhoras.
O bebê ficou 25 dias internado e desenvolveu as síndromes Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) e de Kawasaki. Ambas são consideradas raras e associadas ao coronavírus. Ele recebeu alta do hospital no dia 7 de abril.

Médico pneumologista alerta para sintomas de Covid em crianças

Sorocaba registra 155 casos positivos de Covid em crianças em menos de três meses
Ao Portal Web Rádio Xis, a mãe do bebê, Mical Fernanda Nascimento Fraga, contou que o filho está se recuperando. A medicação para hipertensão foi reduzida, porém, ainda não há previsão para que ele pare de fazer o uso de alguns remédios.
“Nesse primeiro ano de vida dele, a gente vai ter que acompanhar como será. Logo que ele saiu do hospital, estava muito inquieto, mas está muito mais tranquilo. Uma coisa que eu percebi é que, no hospital, ele já não estava mais sorrindo. Agora, em casa, ele está até mais sorridente.”

Luís Miguel está fazendo acompanhamento médico com cardiologista, pneumologista, pediatra e também com um fisioterapeuta por motivo do pulmão.
O nome “Luís” é de origem germânica e significa “ilustre guerreiro”, alguma coisa que, segundo a mãe dele, faz parte da história do pequeno.
“A parte neurológica a gente percebe que está tudo bem, que era uma preocupação minha no hospital. Agora ele já acorda, ele dá aquele sorrisão e me tranquiliza muito. O que aconteceu com o Luís Miguel trouxe um pouco mais de esperança de que Deus possa intervir.”

Síndromes raras
A Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) pode se desenvolver em pessoas de zero a 19 anos que tiveram Covid-19 previamente e que, inclusive, já estão curadas da doença.

O primeiro critério para avaliação dessa síndrome é que o paciente tenha tido Covid-19 previamente. Entre os sintomas, estão:
Febre;
Conjuntivite;
Manchas vermelhas no corpo;
Problemas gastrointestinais;
Dor abdominal;
Vômitos;
Inchaço nas articulações;
Tosse;
Falta de ar.
Já a Síndrome de Kawasaki é considerado um quesito rara, que afeta principalmente crianças menores de cinco anos. Os sintomas típicos são erupção cutânea, glândulas inchadas no pescoço e lábios secos e rachados.

A Prefeitura de Salto informou que não há outros registros de crianças que desenvolveram essas síndromes Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) e de Kawasaki no município. A Vigilância Epidemiológica está em contato com a família e estuda o caso.

Já a Secretaria Estadual de Saúde disse que, até o dia 20 de março, 147 casos e 11 óbitos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) foram registrados no estado de São Paulo.
Do totalidade, 35 casos foram confirmados neste ano. A faixa etária de zero a menores de 10 anos responde por 72% dos casos e 36% dos óbitos. O restante refere-se a crianças e jovens de 10 até 19 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.