Amiga de Paulo Gustavo, diretora Susana Garcia diz que ‘conversou’ com ator e ele reagiu

Amiga de Paulo Gustavo, a diretora Susana Garcia postou em sua rede social que “conversou” com o ator e ele deu sinais de reação no domingo (18).
“Ontem foi um dia muito peculiar com vc. Logo que cheguei, comecei conversando com vc e vi na hora que aumentou a sua frequência cardíaca e a respiratória. Te perguntei se vc estava me ouvindo e pedi pra vc mexer a sua cabeça. Vc mexeu duas vezes e tentou abrir a boca. Fiquei de mão dada com você e pedi pra vc apertar a minha mão e vc apertou fraquinho. Naquele momento, eu percebi que vc estava conectado comigo e me ouvindo”, escreveu.

“Fiquei emocionada com vontade de chorar, mas eu não podia chorar. Respirei fundo e comecei a falar coisas alegres. Disse o quanto vc está se recuperando e como todos nós estamos com saudades. Falei o nome de cada um da sua família, o quanto eles te amam. Dea e Ju rezam o dia inteiro por vc. Falei que o Thales está ali com vc todo o tempo. Que não desgruda de vc. Todos os dias. O dia inteiro. E a medida que eu ia falando, eu perguntava se vc estava me ouvindo e vc balançava a cabeça. Eu falei que os seus amigos rezam por vc o dia inteiro. Falei do Brasil todo orando por vc. Disse que vc une as pessoas pelo afeto, pelo amor”.

O ator Paulo Gustavo, 42 anos, segue internado em estado grave no Rio de Janeiro, mas não apresenta mais hemorragias, segundo o boletim médico divulgado na manhã de quinta-feira (15). Ele está internado com Covid desde o dia 13 de março.

Boletim médico
O ator de 42 anos está internado desde 13 de março em estado grave no Copa Star, em Copacabana. Segundo o boletim médico divulgado na manhã desta quinta-feira (15), ele não apresenta mais hemorragias.
O texto, divulgado pela equipe que acompanha o humorista, diz que apesar de não ter mais sinais de hemorragias, a situação clínica de Paulo Gustavo ainda é crítica, mas deixa a equipe mais otimista em sua recuperação. Os profissionais dizem que “ainda temos um caminho pela frente”.

A equipe explica ainda o tratamento realizado na retirada das fístulas bronco-pleurais, problema que ocorre quando há uma comunicação irregular entre os brônquios e a membrana que reveste os pulmões, há cerca de 10 dias.
O médicos também informam que Paulo Gustavo segue com a utilização de ventilação mecânica e ECMO, um tipo de pulmão sintético.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.